Tag Archives: saudade

Palavras

Padrão

Pare um pouco pra sentir! Não precisa de muito pra isso, basta você permitir.

Um jogo de palavras interrogadas aqui hoje, cada uma com um significado especial pra mim, e quem sabe, pra você também 😉

Quem foi (ou é) SENSACIONAL pra você?

O que a palavra SAUDADE te lembra?

Quando vê um BOMBOM, o que sua memória te traz?

E a palavra AMOR?

O que você já viveu que foi ESPETACULAR?

O que te traz PAZ?

Qual é o seu DESEJO agora?

Se pudesse, QUEM estaria contigo agora?

O que te fez CHORAR?

Se pudesse escolher, para ONDE iria neste momento?

Que SURPRESA sonha ver acontecer?

O que você tem de mais LINDO?

Qual ABRAÇO você quer sentir de novo?

De quem é o SORRISO mais lindo que já viu?

Quem você quer pra chamar de SEU?

Quando vê a CHUVA do que lembra?

Ao tocar aquela MÚSICA, o que sente?

Um beijo, um abraço, uma pessoa, um lugar. Um segundo vivido inesquecivelmente.

Precisamos de sonhos.

Precisamos antes de tudo, reconhecer que alguns momentos vividos são melhores que sonhos.

Aprecio cada momento, cada palavra que me lembra alguém.

É tão bom morrer de amor e continuar vivendo.

Perder-se em alguém, ganhando arrepios.

Errar e ser lembrado por isso.

A arte de sorrir quando o mundo te diz NÃO.

Ela é possível sempre, desde que você permita dar uma “ré” e…

“Re-conhecer, Re-lembrar, Re-viver”.

Porque certas horas, pra ser feliz é preciso voltar atrás.

Não recuando. Apenas pegando impulso!

Se joga no que te faz feliz. E seja!

SEJA FELIZ!

Que sejam boas lembranças e que seus desejos se realizem 😉

Saudade é amor que fica…

Padrão

Um dia li essa frase, num e-mail que recebi… Dentro de uma história linda, uma criança explicou o que era a saudade assim, e eu admirei, porque achei a definição perfeita!

Comentei uma vez que nunca havia perdido alguém importante… E por ironia do destino, isso logo aconteceu…

Primeiro o Kiu, depois a Vó Tonha… logo depois, meu padrinho.

Em 1 ano, perdi 3 gerações… 3 pessoas com o mesmo sangue que eu…

Fiquei com as lembranças, o carinho, o saber que eles me deixaram…

Mas confesso, que depois dessas partidas, tão difíceis, aprendi muita coisa…

Olho mais pro céu, conto estrelas, e choro quando tenho vontade, sem medo e vergonha…

Me amparo numa nuvem, fixo o olhar… Agradeço, peço, suplico, converso…

Eu aprendi a acreditar que existe alguém que está com a gente sempre.

Que quem foi, levou um pedaço de mim, e que nele habita… E age…

E depois, tanta coisa aconteceu… Passei a entender que o amor é vida eterna, e que muita gente ainda não o conhece…

E se assustam quando ouvem um “Eu amo você”…

Além disso, eu vi como as pessoas que ás vezes nem falamos direito gostam tanto da gente… E como dói a saudade… Como é difícil assumir e aceitar a perda…

Em cada perda, agi diferente…

Em uma, não quis ver nada… Apenas acompanhei a família… Preferi ficar com a imagem de uma criança feliz, correndo, brincando, sorrindo… Me chamando de Catarina e fazendo careta pra tudo. Assim, ele ficará pra sempre na minha memória.

Em outra, senti o poder do amor… Ela me esperou até o ultimo instante, e só partiu depois que eu estava presente. O amor é paciente, e não há palavras que o definam por completo. Com ela, ficarei pra sempre, ela era doce e sublime… Dizia que me amava com o olhar.  Cabelo de algodão doce…

Depois, agi como uma adolescente sem regras. Quebrei o protocolo, e não tive medo. Quis vê-lo, e poder me despedir. Havia esperança, mas ele foi guerreiro e lutou até o fim. Meu exemplo de luta e de pessoa, já que ele mostrou o amor por todos, nos poupando do mal que tinha.

Em cada um, algo marcou… O dia do adeus é difícil… Os dias seguintes também.

Mas aprendemos a perder, e a não deixar a vela se apagar.

Vejo que cada coração é um relicário, onde se guardam os sentimentos das pessoas que amamos. Neste relicário, todo amor depositado é eterno.

Os anos se passam, as pessoas mudam. A vida se realiza, toma seu destino.

E nós vamos acompanhando-a.

Um dia, partiremos… E deixaremos saudades.

Aqueles que esperávamos em vida, talvez estejam lá, em prantos. Por ter deixado pra outro dia aquele encontro que queríamos ontem, mas não que não pôde acontecer.

Aqueles que amávamos, e nunca assumimos, talvez estarão lá também. Pensando consigo, o que queríamos dizer, e nunca dissemos.

E outras pessoas estarão lá. Com seus sentimentos, acompanhando o adeus que todos nos darão. O adeus, que já havia acontecido, e eles não tinham notado.

Um adeus indireto, sublime. Que deixa com eles, os bons momentos que passamos ao lado.

Um dia, que pode estar perto… Que pode estar longe…

Que será… Triste pra aqueles que nos amam. Solitário para aqueles que só tinham a nós como companhia. Dolorido para aqueles que não gostavam de ficar longe. Confuso para aqueles que queriam entender o que sentíamos. E eterno, para todos… Já que aqui, só deixamos lembranças.

Faça o que pode hoje. Amanhã pode ser muito tarde…

E tornar-se eternamente imperfeito. A perfeição encontra-se nas atitudes que tomamos hoje, e que podem nos fazer felizes pra sempre.

E a saudade… Essa sim… é o eterno… eterno amor que fica.

Com carinho,

[Oliveira Lopes, Marini]