Monthly Archives: Junho 2017

Citação

​Ela saiu, triste pelo avesso.

A bela-flôr deixou-se murchar por falta de zêlo.

Se arrumou.

Colocou a roupa mais confortável, que aquecia aquele coração tão doce e frágil.

Delineou os olhos, deu brilho aos lábios, ajeitou o cabelo perfumado.

Tocou o próprio rosto como toca uma pétala e se alegrou em ver que sua tristeza não transparecia.

Pros que apreciavam de longe, tudo estava lindo no jardim.

Caminhando em passos rápidos, escondeu seu óculos na bolsa. Era dia de ver o mundo embaralhado.

A miopia tinha seus benefícios. 

A livrava de ver o mundo real quando quisesse.

Não queria ser reconhecida. Muito menos exibir o furacão que se passava adentro.

Mesmo com tudo como planejado, o sol a fez transparecer o mar agitado que havia dentro dela.

Esqueceu-se que o astigmatismo a fazia transpirar pelos olhos quando o sol dava o ar da graça.

Fazia parte da sua natureza.

Não se importou em fazer o drink, deixou as lágrimas se misturarem. Transbordou.

Não havia quem se importasse.

Nem ela.

Sentou-se sozinha.

Começou a observar ao seu redor.

Encontrou no meio da multidão, outra mulher, também sozinha.

Tão linda! Bem vestida, tinha um ar sereno e parecia não estar com pressa.

Ficou refletindo o que ela estava fazendo aquela hora, em pleno domingo, solitária.

Que sonhos tem? Será que sentia-se triste ou seu jardim estava em paz?

Se levantou, depois de muito pensar. Já tinha se escondido do sol, mas ele ainda insistia em causar efeitos.

Quando estava saindo, reparou que a mulher, que estava sozinha, também levantou.

Foram embora juntas.

A menina que se rendeu aos vestígios do sol e a mulher que sozinha, se escondia dele.

Se encontraram naquele instante e desde então, ela aprendeu a olhar mais pra si.

E menos pros outros.

[Marini Lopes] 🌹

Espelho